Comunidade de Aprendizagem Natura e Avon
Comunidade de Aprendizagem Natura e Avon
Você procura por
  • em Publicações
  • em Grupos
  • em Usuários
VOLTAR

História do Perfume

História do Perfume
Leomara Daros
abr. 10 - 5 min de leitura
020

Origem e História da arte da elaboração do perfume nasceu no Egito transpondo os limites dos tempos e das pirâmides transformando em um acessório apreciado pelos ricos mortais, ao invés de ser privilégio unicamente dos deuses e dos mortos. Assim, os sacerdotes aos poucos transformaram seus templos em autênticos laboratórios de Perfumes Artesanais. Por volta de 2000 a.C., os primeiros clientes foram os faraós e os membros importantes da corte, logo, o uso do perfume se difundiu, trazendo um agradável toque de frescor ao clima quente e árido do Egito.

O químico árabe, Al-Kindi (Alkindus), escreveu no século IX um livro sobre perfumes chamado Livro da Química de Perfumes e Destilados. Ele continha centenas de receitas de óleos de fragrâncias, salves, águas aromáticas e substitutos ou imitações para droga caras. O livro também descrevia cento e sete métodos e receitas para a perfumaria, inclusive alguns dos instrumentos usados na produção de perfumes ainda levam nomes árabes, como alambique, por exemplo.

A partir da Espanha foi introduzido em toda a Europa durante o Renascimento. Foi na França, a partir do século XIV, onde se cultivavam flores, que ocorreu o grande desenvolvimento da perfumaria, permanecendo desde então como o centro europeu de pesquisas e comércio de perfumes.

Ingredientes: O perfume é uma mistura de óleos essenciais aromáticos, álcool e água, utilizado para proporcionar um agradável e duradouro aroma a diferentes objetos, principalmente, ao corpo humano. Os óleos essenciais são obtidos por destilação de floresplantas e ervas, tais como a lavanda (alfazema), rosasjasmimsândalofrutas cítricas, bergamota etc. O perfume de jasmim se obtem através de um processo chamado "enfleurage", que consiste em impregnar as substâncias aromáticas em cera e depois extrair o óleo com álcool. Também são utilizados compostos químicos aromáticos.Os fixadores que aglutinam as diversas fragrâncias incluem bálsamosâmbar cinzento e secreções glandulares de civetas e cervos almiscarados. Estas secreções sem diluir tem um odor desagradável, porém em solução alcoólica atuam como conservantes. Atualmente, estes animais estão protegidos em muitos países, por isso, os fabricantes utilizam almiscares sintéticos. A quantidade de álcool depende do tipo de perfume que se quer obter. Normalmente, a mistura deixa-se envelhecer por um ano. As flores são efetivamente, as principais fontes de inspiração para os perfumistas. No entando os óleos essencias usados na elaboração de um perfume pode vir também das raízes, caules, folhas, sementes, frutos, resinas, cascas de árvores, entre outros, o que proporciona um leque limitado de combinações. A laranjeira por exemplo oferece o neroli (extraído das flores), óleo cítrico (obitido da casca da fruta), e petitgrain (oriundo de folhas e galhos). Em meio a tantas possibilidades, cabe ao perfumista decifrar harmoniosas composições e interpretar o mistério da metamorfose que cada nota - ou tom - irá gerar em um novo acorde. Essa não é fácil. Há um século existiam cerca de 150 ingredientes que poderiam ser usados na fórmula de uma fragância. Atualmente esse número saltou para mil extratos naturais e, graças aos avanços da química, há mais de 3.000 opções em sintéticos, que são a base de muitos perfumes modernos. Principais Famílias Olfativas As fragrâncias classificam-se em:

  • Cítricos Florais: quando utilizam matérias-primas extraídas de cascas de frutas tais como lima, limão, laranja, pomelo, tangerina, mandarina, entre outras. Também denominam-se "frutados".
  • Florais Aldeídos: a matéria prima é extraída das flores naturais ou desenvolvida sinteticamente em laboratórios. As notas tem caráter delicado, sutil e discreto.
  • Fougère: elaborado a partir de matérias-primas leves e frescas, normalmente extraídas de madeira, por isso são conhecidos como amadeirados, e a elas se juntam a mistura de álcoois, tubérculos e raízes. São muito utilizados em fragrâncias masculinas.
  • Chipre Florais: fabricados com matérias-primas advindas de musgos, normalmente do carvalho. São os perfumes mais clássicos e sofisticados.
  • Orientais Florais: suas misturas são constituídas normalmente das tuberosas, baunilha, patchouly, ylang ylang. Inspiram sofisticação, são marcantes, misteriosos e super sensuais.
  • Couros Secos: fragrâncias extremamente secas, com características dominantes. Suas matérias primas são extraídas do tabaco, de madeiras, couros, musgos etc.
  • Aldeídos Florais: geralmente são misturas sintéticas, também usadas nos perfumes muito clássicos e sofisticados. Possuem um certo frescor inicial característico e picante.
  • Aromáticos Secos e Frutados: são misturas de secos e frutados, que criam uma fragrância híbrida. Geralmente usam condimentos como cominho, estragão e manjericão, além de especiarias como o cravo, canela, noz-moscada e até mesmo a pimenta.

Tipos de Perfumes: Muitos já devem ter notado na embalagem do perfume eau de toilette que é o tipo de perfume mais comum aqui no Brasil, mas qual a diferença entre eau de toilette, eau de parfum e eau de cologne. Eau de Parfum – Água de Perfume, a mais alta concentração de perfume apresentada no formato líquido. Normalmente contém 15%~40% de ingredientes. Mais marcantes são o prêt-à-porter dos perfumes e duram entre oito e 12 horas na peleEau de Toilette – Água de Banho, o mais comum no Brasil devido ao clima apresentando cerca de 10% de ingredientes do perfume. Têm fixação de seis a oito horasEau de Cologne  – Água de Colônia, apresentado muito em perfumes nacionais e sua concentração gira em torno de 5% de ingredientes. Têm fixação de duas a seis horas.

perfume




Denunciar publicação
    020

    Indicados para você


    Comunidade de Aprendizagem Natura e Avon

      Verifique as políticas de Privacidade e Termos de uso

      A Squid é uma empresa LWSA.
      Todos os direitos reservados.